CARNERO

Cantor, Compositor, Artista de Rua, Engenheiro Eletrônico e Trabalhador Voluntário em Projetos Sociais

Cultura Popular - Literatura - Música - Sarau

Filiação: ABRAMUS - Associação Brasileira de Música e Artes
Site: www.facebook.com/carneromusic
Músicas / Vídeos: www.youtube.com/carnerosamuel
Email: samuelcarnero@facebook.com
Tel: (11) 984-332-081

RELEASE:

- Mais de 50 letras de música registradas na Biblioteca Nacional;
- 19 fonogramas na ABRAMUS / ECAD;
- CD Autoral "Eu Não Posso Parar" - 2012;
- Singles "Corporativismo" e "Escolhas" - 2013;
- Demo "Envenenado de Amor", "A Mais Linda do Trem" e "Não Espere Por Mim" - 2013;
- Web Clipe "Te Sinto Tanto", "Corporativismo", "Não Espere Por Mim" - 2013;
- Lyric Video "Escolhas (Original Mix)" - 2013;
- Street Pocket Show CARNERO at "Praça Oswaldo Cruz" - 2013;
- Musicoterapeuta Voluntário "Lar dos Vicentinos de Parapuã-SP";
- Voluntário na ONG Teto Brasil e OASIS (Instituto Elos);

Carnero tem se apresentado na Capital Paulista e Interior.

Samuel Carnero teve seu primeiro contato com a arte logo de pequeno. Aos 3 anos, seu pai comprou uma vitrola Phillips, onde Samuel cantou suas primeiras canções, sussurradas por seu pai e gravadas em uma fita K7: "Lá vem o pato pata aqui pata acolá...Lá vem o pato para ver o que é que há..."
Durante a infância, morando em São Paulo Capital, participou de algumas peças de teatro e danças, no Colégio Externato São Rafael. Aos 6 anos de idade, ganhou de sua mãe uma pequena cítara, com algumas partituras de músicas natalinas e infantis. Sua mãe também sempre cantarolava e estimulava o filho pequeno à ler, escrever e cantar. Sua casa tinha muitos LP´s e K7´s.
Seu primeiro contato com o violão foi ao mudar-se para Parapuã - SP, em 1990. Um violão Giannini Estudo, de sua Tia Nely, professora de educação artística e de piano clássico. Sua avó materna, Dona Maura, dizia que todos os seus 17 irmãos tocavam algum instrumento e sempre faziam saraus na fazenda onde moravam, em Bariri – SP.
“Minha mãe, Roseli Helena, é professora, escritora, pianista e pintora. Tio Flávio é sanfoneiro, escritor e professor de história. Tia Sônia é professora de piano clássico, compositora e regente do Coral Municipal de Parapuã. Tia Bete é escritora, cantora e faz artesanatos. Tia Sônia e Tia Bete são autoras do Hino de Parapuã. Recentemente descobri, por ascendência paterna, que tenho um primo músico e conhecido na cena nacional e internacional, o baterista/percussionista Nahame Casseb (Naminha) – Língua de Trapo, Lisa Ono, Domingão do Faustão, Wanderléia, Cláudia Telles, Ângela Maria, Cauby Peixoto, entre outros. Naminha foi o baterista do meu primeiro disco. Acho que a minha raiz veio de tudo isso aí”, comenta Samuel.
Aos 13 anos, começou à fazer aulas no conservatório de Parapuã. Se apresentou na audição anual da cidade, cantando "Romaria", de Renato Teixeira. Também tocou violão algumas vezes nas missas aos Domingos pela manhã, na Igreja Matriz.
Mas a composição autoral mesmo começou só na época da Escola de Engenharia de Lins - SP, em 1999. Em 2000 se apresentou no Festival Aldeia do Rock, com a banda Amanita Muscaria, tocando de Pink Floyd à Secos & Molhados. Também se apresentou no Fest-Eng de 2003, evento do qual já participaram o IRA e Kiko Zambianchi.

Contato
(11) 984-332-081samuelcarnero@facebook.com
Locais de Apresentação:
    CARNERO(Cultura Popular - Literatura - Música - Sarau)
    14:00 às 18:00
    CARNERO(Cultura Popular - Literatura - Música - Sarau)
    Horário não definido.
    CARNERO(Cultura Popular - Literatura - Música - Sarau)
    11:30 às 14:30
Toquei pela primeira vez em 2010, no MASP. Me apaixonei. Não tinha show marcado e estava em casa sem fazer nada. Decidi sair para rua e tocar. Não parei mais. A rua é o que tem pra hoje e o que vier a mais será bem-vindo também. Gravei um disco autoral em 2012 e não pintou show, patrocínio, banda fixa e investidor. Sai para rua e toquei minhas músicas, distribuindo os CD´s gratuitamente, como forma de divulgação. Em 2013 investi em uma caixa amplificada com bateria interna, microfone e carrinho, para tocar pela Av. Paulista e Praça Oswaldo Cruz.