Literatura de Cordel

A literatura de Cordel já nasceu na rua. Seu nome é derivado da forma como eram expostas as páginas das histórias: em cordas. A literatura de cordel é uma espécie de poesia popular, onde os versos são impressos em algumas folhas e vendidos e recitados ao ar livre. Geralmente, a essa arte retrata temas do dia a dia, como a fome, os problemas da vida, as brigas, os heroísmos praticados por famosos e anônimos e etc. Apesar desses temas que podem ser pesados, esse tipo de literatura se destaca por ser quase sempre bem-humorada.

Outra característica marcante do cordel é a regionalidade. Além de retratar contos, lendas e mitos, também mistificam personagens, como é o caso de Lampião.

A literatura de cordel quase sempre se apresenta em folhetos e recitais, contudo, algumas vezes pode ser representada em forma teatral ou com acompanhamento de uma viola, sempre em praça pública.

Por ser uma das formas de arte mais regionais, a literatura de cordel é importantíssima para se entender as tradições de seu local de origem, além de guardar importantes tradições literárias, contribuindo para a perpetuação do folclore brasileiro.

Esse tipo de arte também é responsável pela disseminação do hábito da leitura, por ter o preço baixo e a leitura prazerosa e identificada com o seu público.